terça-feira, 25 de março de 2014

Oh não! Mais um post a dizer "Voltei?!"

Este deve ser, pelo menos, e aproximadamente, o trigésimo nono post em que utilizo, aparentemente em vão, com a palavra "voltei".
Tal qual um adepto de um clube de futebol de Lisboa, que eu não digo qual, é ou um político em período pré-eleitoral, prometo sempre que volto.
Mais do que a definição de um estilo de escrita, isto poderá constituir a assunção (não a Cristas, nem a Esteves) de uma religião:
Eu, que até agora tinha uma relação muito pessoal e adogmática com Deus, o que, de certa forma, permite abraçar como semelhante todo aquele que manifesta a sua fé, confesso-me fervoroso do Santo Padroeiro das Causas Inacabadas. (a par do Santo António, cujas imagens povoam todos os cantos da casa onde cresci.)
Não sei o seu nome, mas uma pesquisa rápida no meu leitor mais fiel e mais sistemático, sem desprimor para qualquer um dos outros, refere que o nome do padroeiro das Soluções Rápidas é São Expedito. Deve haver, algures na liturgia, na da Igreja Católica, na Budista ou na de Carl Sagan, algum antónimo de São Expedito, nem que seja sob a forma de anti-matéria...
Tudo isto para dizer que este blog é uma obra eternamente inacabada e imperfeita, tal como eu. E que é muito provável que, havendo força e discernimento para isso, volte para o polir e aperfeiçoar, tal como espero que aconteça comigo. E que São Expedito, juntamente com o seu antónimo, tal qual como nos frente a frente da política, possam ser moderados  por algo ou alguém, nem que seja eu próprio...  

PS - Fica prometido (ou talvez não) um post acerca da espiritualidade na Saúde Mental...

2 comentários:

filomena bernardino disse...

Aprendi algumas coisas sobre espiritualidade,com o Padre Feitor Pinto em Fátima na Pastoral da Saúde. Gostava de saber mais.

Anká disse...

Passou mais de um ano, pois... essa coisa da espiritualidade dá uma residência permanente! ;) Jung tinha umas ideias, pensamentos ou sonhos, giros acerca deste regresso ou religião...

Não há despertar de consciência sem dor. As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo para evitar enfrentar a sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão.

Carl Jung

Com muita luz ou em apagão, espero que se encontre na sua perdição e seja feliz! Volte ou revolte, grata pelas suas partilhas ou despejos do consciente coletivo bem humorado. Bem haja. :D