sábado, 23 de janeiro de 2010

Como se faz um psiquiatra

A pedido de várias famílias, aqui vai uma dissertação de alguns minutos sobre "como se faz um psiquiatra"

O que é um psiquiatra?

Um Psiquiatra é um médico. Só que, em vez de tratar outro tipo de coisas, como por exemplo hemorróidas, especializa-se no diagnóstico e tratamento de pessoas com doença mental. Mas o papel do psiquiatra, como o de qualquer médico, não se deve limitar só a isso... Deve incide sobre a prevenção da doença e sobre a promoção da saúde, bem como educação para a saúde.
Ocasionalmente, há psiquiatras que pensam que esta especialidade é um ramo da filosofia. Isto dá-lhes uma abrangência completamente diferente, reservando-se a si próprios o direito de opinar sobre tudo o que vier à discussão. São uma espécie de Marcelos Rebelos de Sousa da Psiquiatria, mas sem o brilhantismo...

Quais são as implicações do facto de o psiquiatra ser médico?

O facto de ser médico tem várias implicações associadas, como por exemplo:
  • Tem uma licenciatura em Medicina, que inclui um estágio final, e um período de formação chamado Ano Comum, em que passa por várias especialidades médicas "fundamentais".
  • Faz um Juramento no início da carreira, em que, entre outras coisas, jura que o doente é a sua primeira preocupação.
  • Recebe sempre no Natal figuras, estatuetas, azulejos e outras obras de arte a lembrar-lhe isso mesmo.
  • Faz uma especialidade de Psiquiatria (5 anos além do ano comum), com vários estágios dentro das diferentes sub-áreas da especialidade.
  • A preparação em Medicina confere conhecimentos não só para fazer diagnósticos, mas também para escolher a melhor opção terapêutica, de acordo com o seu conhecimento.
  • Os psiquiatras estão sujeitos à tutela deontológica da Ordem dos Médicos.
  • De vez em quando (regra geral, uma vez ou mais por semana) os psiquiatras têm de fazer uma coisa chamada serviço de urgência. No serviço de urgência, o médico exercita várias competências: técnicas de persuasão, luta na lama, introdução à burocracia, introdução ao cargo de polícia sinaleiro... de psiquiatria propriamente dita, o serviço de urgência tem, de vez em quando, algumas coisas...

Que terapêuticas é que o psiquiatra pode realizar/administrar?


O psiquiatra pode prescrever fármacos ou prescrever/realizar outro tipo de terapêuticas (por exemplo, electroconvulsivoterapia, estimulação magnética transcraniana....). Pode, igualmente, articular com outros técnicos de saúde mental, para realizar outro tipo de intervenções  (como por exemplo, a dança da chuva, que foi fruto de várias meta-análises no The Onion e no Q Fever...), podendo realiza-las se tiver qualificação para tal.
Como médico, o psiquiatra está deverá prescrever/realizar intervenções devidamente baseadas na evidência científica. Isso não significa que não haja psiquiatras que não entendam que, pelo facto de uma determinada escola de pensamento, em que se inserem, ter um dado tipo de postura, não a defendam como um verdadeiro talibã, mesmo que a evidência científica a sustentá-la não seja assim tão forte...
Nesse caso específico das religiões, devo dizer que sou mais pela Bimby...
Normalmente, o psiquiatra não trabalha isolado. Trabalha em equipa com vários profissionais: o psicólogo, o psicopedagogo, o médico de família, o assistente social... mas também, segundo algumas escolas, com o padre, o xamã e a stripper...

Qual é a diferença entre um psiquiatra e um psicólogo?

  • A primeira diferença é o tipo de canudo... O psicólogo tem uma licenciatura em psicologia. O psicólogo é exímio a fazer avaliações ("o que vê neste desenho?"), em caso de dúvidas de diagnóstico e, normalmente, tem formação em psicoterapia, pelo que pode realiza-las a pedido do psiquiatra ou do médico de família.
  • Teoricamente, quem faz os diagnósticos é o psiquiatra, apoiado na história clínica, no exame do estado mental e nos exames complementares de diagnóstico, que podem incluir exames imagiológicos ou análises clínicas, e a avaliação feita pelo psicólogo.
  • O psicólogo não tem vinhetas - não pode passar receitas nem atestados... (too bad.... :P)

Para se ir para psiquiatria é preciso ter uma determinada estrutura?


Não. Se bem que ter 1,90m e 110 kg de peso ajude, quando se trata de doentes mais agitados...
A nível psicológico, tal como os cirurgiões se têm que esterilizar antes de uma operação, o psiquiatra também deve, durante a formação, adquirir ferramentas para lidar com o sofrimento próprio e o dos outros...
Por experiência própria, devo dizer que o que mais custa não é lidar com as pessoas com doença mental, mas sim com a sociedade em que estão inseridos...



Como se forma um psiquiatra?


Depois de passar pela licenciatura em medicina, onde tem contacto com psicopatologia em várias vertentes, o aspirante a psiquiatra tem de fazer um exame baseado num livro de Medicina Interna. Na prática, isto significa empinar capítulos desse livro e fazer perguntas de escolha múltipla sobre isso...
Depois, faz 12 meses de ano comum, já remunerado, em que passa por várias especialidades, a saber: Medicina, Cirurgia, Pediatria, Ginecologia/Obstetricia e Medicina Geral e Familiar.
Só aí, se sobreviver a este processo todo, ingressa na formação específica do internato médico. Durante este período, passa por vários estágios, a saber:
  • 24 meses de internamento - em enfermarias de serviços de psiquiatria
  • 3 meses de neurologia
  • 3 meses de psiquiatria de ligação (a disciplina da psiquiatria que lida com a interrelação com as outras especialidades médicas)
  • 6 meses de pedopsiquiatria
  • 6 meses numa estrutura de internamento parcial (hospital de dia)
  • 3 meses em serviços de reabilitação de abuso de substâncias
  • 3 meses em serviço de psiquiatria comunitária
  • 12 meses em estágios opcionais.
É obrigatória, neste período, a realização de serviço de urgência e a realização de consulta, ainda que com supervisão, pelo menos em teoria...
E é assim que se forma um psiquiatra... Em posts próximos, focaremos "Como se faz um electricista", Como se faz um serralheiro mecânico" e "Como se faz um boneco de loiça das Caldas"...

6 comentários:

Sahaisis disse...

Opa...fartei-me de rir (novamente). Principalmente na parte do 1.90 e 110kg (às vezes também me dava jeito...lol)

Atena disse...

Óh meu deus.. então e mesmo depois desses anos todos, vocês ainda estarão com os vossos próprios neurónios todos bem sintonizados?
É que eu tenho pela profissão de psiquiatra uma grande estima, até porque o meu, é um querido, um grande amigo, que já me tem "salvado" em momentos bem críticos... e além do mais atura a minha ansiedade que me leva a fazer 300.000 mil coisas ao mesmo tempo, mantendo a capacidade maluca de as fazer e de achar que quem não o consegue é que está "maluco". Pacientemente diz-me ele para abrandar o ritmo de vez em quando, mas eu digo-lhe que isto não é defeito é feitio, e que os comprimidos que me dá me paralizam as ideias e me fazem sentir uma pessoa muito "mole", portanto peço-lhe que me arranje outros que apenas me façam poder viver 24 horas por dia, que isto de dormir atrasa-me a vida. Sempre com grande paciencia para me aturar lá me dá o papelinho com o seu selo de médico para eu ir à farmácia... Quando saio de lá penso: bom, secalhar o meu querido Dr. depois de me ouvir por meia hora nos meus planos e projectos e afins, deve ter também ele que tomar qualquer coisa que o acalme, porque isto de lidar com uma pessoa que parecem 4, deve ser stressante...
Na verdade admiro-o muitíssimo e acho que vcs fazem é muita falta, portanto se se sentirem deprimidos, não hesitem em passar uma receitazinha tb para vcs, que isto a vida não é nada fácil
Abraço
Cristina

Mina disse...

Corroboro, que ás vezes será mais facíl tratar alguém com doença mental, do que a sociedade em que estão inseridos...E esta é a parte séria da questão...

Quanto á questão da formação achei o máximo à descrição, e eu já tinha noção que a psiquitria até formava pessoas bem dispostas e aqui confirmasse rsss

Um famoso psiquitra, que trocou a bata, pela caneta sim que ele diz que só escreve à caneta, é cá dos meus, sim que isto que eu estou agora martelar , não são teclas lool
Mas voltando a ele ao escritor versus psiquitra de formação, é um homem super animado.

Em relação ás restantes formações, fico ansiosamente à espera. Destaco a das Caldas, minha terra de adpoção loool
Um abraço

Sant'Iago disse...

Meu caro Psiquiatra, eu ia 'postar' isto, mas é demasiado profundo a ciência que envolve (CIPE). E não é que é mesmo! Isto podia servir para 'porn': (seguidamente estão as categorizadas "atitudes terapêuticas". eu ia fazer prosa, mas achei melhor ficar por aqui. para manter a minha sanidade mental :)). e vai disto:

Gerir ambiente físico
Promover uma comunicação expressiva
Incentivar a pessoa a alternar posicionamentos
Posicionar a pessoa
Optimizar a ventilação através da técnica de posicionamento
Monitorização da temperatura corporal, frequência cardíaca, tensão arterial
Incentivar a pessoa a alternar posicionamentos
Elevar a cabeceira da cama
Aplicar creme, vigiar a pele
Posicionar a pessoa
Aliviar zona de pressão através de almofada
optimizar cateter (central)
Aplicar óleo hidratante
Assistir no auto-cuidado uso do chuveiro
Lavar períneo
Vigiar perda sanguínea
Planear repouso

daniela disse...

Olá

Sou cirurgiã plástica e na época da minha escolha de residência acabei por não escolher pisquiatria porque a visão que tive na minha faculdade sobre a especialidade foi completamente distorcida. Acha possível conciliar a formação de psiquiatra com a cirurgia plástica?

Bruna disse...

minha mae de deus. e eu querendo fazer psiquiatria, muito complicado ;s