sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A culpa é do sistema?



O que é comum ao Serviço Nacional de Saúde e às SCUT?
Não, não é o facto de ter buracos por tudo quanto é sítio... (Aliás, toda a gente sabe que as autoestradas deste País são o paradigma da boa construção - basta ir à A8...)
É o facto de toda a gente pensar que, pelo facto de ser "tendencialmente gratuito" não se faz pagar - e bem, pelos Portugueses... e que os recursos a ele associados não são escassos...

Isso é especialmente verdade quando a malta se lembra de exigir um serviço de urgência polivalente, com ortopedia, medicina interna, cardiologia, obstetrícia, dermato-venerologia, pneumologia, medicina tropical e sexologia clínica, a cada 20 km...

Algo está, igualmente a falhar, quando algumas pessoas vão às 5 da manhã para a fila da consulta de urgência no centro de saúde, porque "se sentem sozinhas em casa e precisam de conversar"...
Devo admitir que os 2 ou 3 euros que se paga por uma consulta de urgência no Centro de Saúde são muito mais baratos do que ir a uma consulta de Psicologia... ou, diz-se, ligar para aquelas senhoras que aparecem muito despidas em anúncios da televisão e dizem "Me liga, vai!"... mas são seguramente mais caros do que conversar com os vizinhos, ligar para o SOS Voz Amiga, ou ir desabafar com o padre da paróquia...
O problema não é exclusivo das pessoas que vão para a fila: algo está a falhar ainda antes dos cuidados de saúde - associações de apoio à terceira idade, organizações não governamentais...

A questão por si não teria importância se não estrangulasse os cuidados primários, que, já de si sufocados com mobilidades, PEC'S e outras coisas que ficam muito bem no orçamento, já mal conseguem dar conta do recado...Os cuidados de saúde primários não conseguem ser acessíveis às pessoas...

E qual o resultado?

Qualquer pessoa, mesmo tendo uma depressão daquelas que não matam mas moem, há 10 anos, uma unha encravada há 10 meses, ou uma gripe que se trata a chá de limão com mel, há 10 horas, desemboca na urgência...

E manter urgências abertas para tratar situações que poderiam ser encaminhadas com uma boa rede de cuidados primários é como construir uma casa pelo telhado...

Não me entendam mal... Temos dos melhores serviços de saúde do Mundo... Se podia estar mais organizado? Podia... mas não era a mesma coisa...

5 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Assino em baixo!

Carlinha disse...

Gostava de dar uma sugestão, tenho um familiar Bipolar e gostava que saber mais sobre a doença, que infelizmente parece-me estar socialmente muito mal vista.
Gostei muito deste cantinho.

S.Kastor disse...

Gostei do blog.

O meu é sobre cultura psiquiátrica e psicopatologia, dá uma olhada: http://fluxodopensamento.wordpress.com

Atena disse...

Passeí apenas para deixar um abraço e dizer que sente-se a falta de postagens por aqui...
Até breve:-)

Rui P. Guimaraes disse...

Gostava de viver nesse sitio onde as pessoas vao para as urgencias para ter companhia. Aqui na terra nao se vai as urgencias porque ja se sabe que se vai estar varias horas a espera e depois quando se vai ao medico de familia ja a coisa e grave. Aqui nesta terra, nao se conta com uma ambulancia de manha ha hora de ponta, o melhor e chamar um taxi. Aqui ninguem acha que o SNS e assim tao divertido, mas ja agora se houvesse um registo das pessoas com falsas doencas, se houvesse um acompanhamento social e psicologico minimament organizado, se houvesse distribuicao de informacao realativamente a certas doencas em vez de dar comprimidos e mandar para casa talvez ja nao acontecesse aquilo de que fala